O centésimo gol de Rogério Ceni e Adriano "IMPERADOR' X Luís Fabiano "FABULOSO"

03-04-2011 16:00

Essa semana nosso artigo que era para ser postado ontem, entretanto tivemos um problema e vamos postar hoje vai falar sobre dois assuntos que aconteceu essa semana, que foram: O Centésimo Gol de Rogério Ceni e o as contratações de Adriano pelo Corinthians e a de Luís Fabiano pelo São Paulo.

Primeiro vamos falar sobre o Centésimo Gol de Rogério Ceni que entro na História como o primeiro goleiro a chegar a marcar 100 gols e goleiro com mais gols na História.

Dois Gols dele não são reconhecidos pela FIFA, pois Foram Marcados em Jogos amistosos.

O Seu centésimo gol foi de Falta e aconteceu no dia 27 de Março de 2011 e contra o Seu principal rival o Timão. Veja o vídeo abaixo com o centésimo gol dele:

 

Agora veja o vídeo com os 100 gols de Rogério Ceni:

 

ADRIANO “IMPERADOR” X LUÍS FABIANO “FABULOSO”

Agora como as contratações de grande peso de times Brasileiros viraram Moda, cada time tem sua grande Estrela.

Agora foi a Vez do Corinthians e do São Paulo fazer isso, o time do Parque São Jorge contratou Adriano e o Tricolor Paulista contratou Luís Fabiano.

Agora fica algumas perguntas em todos:

*Quem é melhor?

*Quem vai jogar mais e fazer mais gols?

*Quem vai render mais?

Agora para ajudar você vamos fazer um Compacto com tudo que os dois já fizeram.

Começando por Adriano:

Adriano Leite Ribeiro, mais conhecido como Adriano (Rio de Janeiro, 17 de fevereiro de 1982), é um futebolista brasileiro que atua como atacante. Atualmente, joga pelo Corinthians.

No dia 17 de agosto de 2009, Adriano recebeu da Câmara Municipal de Vereadores do Rio de Janeiro a Medalha de Mérito Pedro Ernesto, mais importante comenda do município, que é entregue aos cidadãos que mais se destacam na comunidade. As justificativas para a honraria foram a superação e a humildade do jogador, além do fato de ele "fazer a felicidade de milhares de cariocas".

Foi considerado pela Revista Época um dos 100 brasileiros mais influentes do ano de 2009.

Carreira

O início

Adriano nasceu e viveu durante sua infância na Vila Cruzeiro, uma das favelas mais perigosas do Rio de Janeiro. Começou sua carreira nas divisões de base do Flamengo, tendo sido promovido ao time profissional em 2000. Nesse mesmo ano, ainda com a idade de dezoito anos, o atacante foi convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira.

O jogador, desde cedo, já impressionava a todos por causa de seu enorme vigor físico. Porém, somente anos mais tarde, ele também passou a ser reconhecido por seus fortes chutes com a perna esquerda.

Internazionale e os empréstimos

Em 2001, foi vendido para a Internazionale, da Itália. Logo na sua estréia, marcou um gol contra o Real Madrid, no Santiago Bernabéu. O tento, contudo, não foi suficiente para que o jovem brasileiro continuasse no time milanês; assim, foi emprestado à Fiorentina e, em seguida, foi jogar no Parma em uma copropriedade.

Em 2004, findados os dois anos de parceria entre a Inter e o Parma, Adriano voltou a ser jogador exclusivo da primeira. Marcou quinze gols em dezesseis partidas disputadas, média de quase um gol por jogo. Com essas atuações que o garantiu a vaga como titular absoluto no time milanês.

Na Itália, Adriano ficou conhecido pelo apelido de L’IMPERATORE ("O Imperador"), em alusão ao imperador romano Adriano. Conquistou títulos importantes pela Inter, incluindo a Coppa Italia de 04-05 e 05-06, e o scudetto de 2005-06, 2006-07, 2007-08 e 2008-09

Entretanto, em 2006, logo após o falecimento de seu pai, a carreira de Adriano começou a declinar. Ficou quase aquele ano inteiro sem marcar um gol pela Inter e, depois da Copa do Mundo de 2006, foi duramente criticado pela imprensa esportiva brasileira, irritada com a péssima campanha da seleção naquela Copa. No ano seguinte, acabou sendo barrado pelo técnico Roberto Mancini e sequer foi inscrito na UEFA Champions League 2007-08.

São Paulo

O declínio seguiu na volta a Milão. Os problemas pessoais persistiam, a falta de cuidados com a condição física, também. Sendo assim, Adriano havia perdido a total confiança do técnico Roberto Mancini, que sequer o convocava para as partidas. Assumiu em entrevistas à imprensa italiana que, deprimido, recorreu ao álcool, o que o atrapalhou ainda mais. Tentou recomeçar em partidas pela Serie A e da Coppa Itália, mas acabou liberado para voltar ao Brasil para melhorar sua preparação física no Reffis do São Paulo Futebol Clube.

Depois de seu departamento fazer o atacante perder três quilos e reordenar a gordura corporal, os paulistas conseguiram convencer o clube italiano a liberá-lo por empréstimo de seis meses. Dessa forma, o atacante jogou o primeiro semestre de 2008 para o São Paulo Futebol Clube. Não conseguiu dar ao clube seu quarto título da Copa Libertadores, mas fez um bom papel: em vinte e oito jogos marcou dezessete gols, seis pela competição sul-americana e onze pelo Campeonato Paulista.

Retorno à Internazionale

Depois da passagem pelo São Paulo, Adriano ainda retornou à Itália, jogou por alguns meses e teve participação importante, principalmente, na UEFA Champions League. Desta vez, seu desempenho pela Inter foi mais fraco, marcando apenas 5 gols em 19 jogos.

Em abril de 2009, Adriano simplesmente abandonou os treinamentos da Internazionale e retornou sem autorização ao Brasil. Foram dias de sumiço e especulações até de sua morte, como uma falsa notícia de que Adriano teria subido o Morro da Chatuba, no Complexo do Alemão, teria sido sequestrado e morto por traficantes. Um delegado, porém, desmentiu a notícia.

Adriano, na verdade, estava na casa de familiares, na Vila Cruzeiro, favela onde nasceu. Dias depois do sumiço, ele e seu empresário marcaram uma coletiva de imprensa. Em 9 de abril de 2009, durante a coletiva, Adriano declarou que pretendia parar de jogar por um tempo indeterminado, que poderia durar até três meses, pois perdeu a alegria de jogar futebol.

Retorno ao Flamengo

Passadas três semanas de indefinição em sua carreira e a continuidade ou não de seu contrato com a Internazionale, o clube informou no dia 24 de abril de 2009, em seu site oficial, a rescisão amigável do contrato do centroavante brasileiro, sem revelar valores ou condições deste acordo. Em 6 de maio de 2009, Adriano retornou ao Flamengo, onde fez sua reestréia frente ao Atlético Paranaense, em 31 de maio, marcando o segundo gol da vitória por 2 a 1.

No Campeonato Brasileiro de 2009, Adriano foi junto a Petković e técnico Andrade, o grande destaque do Flamengo na competição. Ao fim do torneio, o Fla conquistou o título brasileiro, e o Imperador foi o artilheiro do Brasileirão junto com Diego Tardelli, do Atlético-MG, ambos com 19 gols.

Em 2010, atuou com Vagner Love formando uma dupla que ficou conhecida como O Império do Amor. Tinha grandes chances de voltar à Seleção e atuar na Copa do Mundo da África, mas não constou da lista final de convocados anunciada pelo técnico Dunga.

Polêmicas na temporada seguinte

No início de março, o jogador se envolveu em uma nova polêmica em sua carreira. Na madrugada de sexta-feira, 5, após retornar de amistoso com a seleção brasileira, Adriano foi a uma festa na Barra da Tijuca (Zona Oeste do Rio de Janeiro). De lá, acompanhado por aproximadamente dez jogadores do Flamengo, seguiu para a Chatuba e participou de um baile funk realizado em uma quadra poliesportiva. Pouco tempo depois de chegarem ao local, os jogadores rubro-negros foram surpreendidos pelos gritos de Joana Machado, noiva do atacante. Alterada e ofendendo os atletas, a moça atirou pedras e atacou o carro do jogador e de outros três de seus colegas de clube. O veículo do atacante ficou bastante danificado; outros dois perderam, respectivamente, um retrovisor e um pára-brisa. O quarto foi atingido em uma das portas.

Após o ocorrido, Adriano se mostrou muito abalado, e falou novamente em largar sua carreira no futebol, como já havia falado antes de chegar ao Flamengo. O jogador eventualmente admitiu sofrer de constantes problemas devido ao alcoolismo, e a diretora do clube carioca, Patrícia Amorim, chegou a falar em rescisão de contrato, caso o problema persista. Adriano não viajou com o elenco para Caracas, onde o Flamengo enfrenta o clube venezuelano de mesmo nome pela Copa Libertadores da América de 2010, e volta a jogar no Clássico dos milhões.

A saída

Após perder um pênalti na decisão da Taça Rio, em que o Flamengo acabou sendo derrotado pelo Botafogo por 2 a 1, começou a ser muito pressionado pela torcida. Logo depois, o Flamengo foi eliminado da Copa Libertadores da América de 2010 pelo Universidad de Chile, onde também marcou o seu último gol com a camisa do rubro-negro carioca, o segundo na vitória de por 2 a 1 sobre a equipe chilena, resultado que eliminou o Flamengo após perder a partida de ida no Maracanã pelo placar de 3 a 2. Após a eliminação, começaram a surgir fortes boatos de que Adriano iria se transferir para a Roma.

Neste meio tempo, se envolveu em mais polêmicas: teria tido um suposto envolvimento com um traficante de drogas. Adriano teria comprado duas motos, e uma delas teria sido registrada em nome da mãe de um traficante que controla o Morro da Chatuba, onde cresceu o jogador. Além disto, também foram divulgadas fotos de Adriano portando armas de fogo. O jogador teve de prestar depoimento ao Ministério Público, que chegou a pedir a quebra do sigilo telefônico e bancário do jogador.

Roma

Em meio as polêmicas, em 27 de maio de 2010, o seu empresário, Gilmar Rinaldi, confirmou que Adriano jogará pela Roma a partir da temporada 2010-11, entretanto o contrato ainda não teria sido assinado e Adriano viajaria à Itália para acertar os detalhes.

 Em 9 de junho de 2010, foi apresentado oficialmente como novo jogador da Roma no estádio Flamínio, usando a camisa de número 8. Assinou contrato de três temporadas com a equipe romana.

Em 8 de março de 2011, a Roma, por meio de seu site oficial, anuncia a rescisão do contrato de Adriano em mútuo acordo principalmente pelo seu comportamento inadequado extra-campo e seu baixo aproveitamento e rendimento nos jogos. Adriano deixou o clube sem marcar sequer um gol em partidas oficiais, já que o único gol marcado foi na sua estreia, em jogo amistoso, contra um combinado da região de Riscone Brunico e o Roma venceu por 13 a 0.

Corinthians

Em 29 de março de 2011, assinou com o Corinthians. Onde ainda não jogou por que está com uma contusão no ombro.

Seleção Brasileira

Vestindo a camisa da Seleção Brasileira, Adriano teve a oportunidade de participar das conquistas da Copa América de 2004 e da Copa das Confederações de 2005. Foi destaque nesses dois torneios, sagrando-se artilheiro e melhor jogador em ambas competições e garantindo sua vaga para a Copa do Mundo de 2006.

Na Copa do Mundo de 2006, porém, Adriano não conseguiu repetir o desempenho dos torneios anteriores. Marcou apenas dois gols em toda a Copa e viu a seleção canarinho ser eliminada precocemente nas quartas-de-final, já que o Brasil era o grande favorito ao título daquela Copa do Mundo.

No ano de 2009, Adriano volta a ser convocado para a seleção após ter um bom futebol apresentado no Flamengo, onde havia estado na artilharia do Campeonato Brasileiro durante o período da convocação, disputou alguns amistosos e também jogos válidos pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2010, mas não veio a se firmar entre os titulares, não marcando nenhum gol em sua nova passagem, e em resultado das novas polêmicas nas quais o jogador esteve envolvido durante a sua estadia no Flamengo, acabou não sendo chamado para a Copa do Mundo de 2010 por Dunga, até então treinador da seleção.

Títulos

Flamengo

Copa dos Campeões: 2001

Taça Guanabara: 2001

Campeonato Carioca: 2001

Campeonato Brasileiro: 2009

Internazionale

Coppa Italia: 2004-05, 2005-06

Supercoppa Italiana: 2005, 2006

Serie A: 2005-06, 2006-07, 2007-08, 2008-09

Seleção Brasileira

Campeonato Mundial Sub-17: 1999

 Campeonato Sul-Americano Sub-20: 2001

Copa América: 2004

Copa das Confederações: 2005

Prêmios Individuais

Atilharia

Copa América: 2004 (7 gols)

Copa das Confederações: 2005 (7 gols)

Campeonato Brasileiro: 2009 (19 gols)

Melhor Jogador

Copa América: 2004

Copa das Confederações: 2005

Outros

Seleção do Campeonato Paulista: 2008

Medalha de Mérito Pedro Ernesto: 2009

Bola de Prata (atacante) da Revista Placar: 2009

Bola de Prata (artilheiro) da Revista Placar: 2009

Bola de Ouro da Revista Placar: 2009

Melhor Atacante do Campeonato Brasileiro: 2009

Fonte: http://www.wipedia.org

Veja o vídeo como os lances do imperador no Mengão:

 

Agora a Vez do Fabuloso:

Luis Fabiano Clemente 

DO "BURACANÃ" PARA O MUNDO

Luis Fabiano Clemente nasceu no dia
 8 de novembro de 1980, no bairro de Jardim Proença, em Campinas. Poucos anos depois, nos campos de terra batida do mesmo bairro nasceria o artilheiro Luis Fabiano. Desde pequeno, o brinquedo preferido era a bola e a principal diversão estufar as redes adversárias. Os primeiros chutes foram dados em um campo de terra próximo a casa em que morava, conhecido como "Buracanã", que como o próprio nome sugere ficava em uma área rebaixada e fazia os garotos sonharem em um dia jogar no maior estádio do mundo.

De lá Luis Fabiano foi direto para os campos de várzea de Campinas onde atuou por equipes amadoras como Alvorecer e Arco-íris. As partidas do artilheiro eram sempre acompanhadas de perto pelo avô Benedito, o maior incentivador de sua carreira. Nesse período, Luis Fabiano curiosamente atuava em outra posição: a meia-direita.

Mas para se tornar um jogador profissional, Luis teve que superar algumas barreiras, que quase o fizeram desistir do sonho. Com apenas
 14 anos, em sua primeira tentativa de se tornar profissional, foi dispensado da equipe infantil do Guarani. Triste, ficou sem jogar durante um ano. Nesse período pensou em desistir, mas, em 1995, surgiu juma nova oportunidade de voltar aos gramados por um convite de um amigo que jogava na equipe juvenil do Ituano. Luis Fabiano passou no teste e, um ano depois, transferiu-se para a Ponte Preta, realizando um sonho antigo do avô que era torcedor fanático da Macaca.

Na Ponte, Luis Fabiano teve um crescimento rápido: despontou na Copa São Paulo de Juniores de
 1998, quando a Ponte Preta foi vice-campeã, perdendo do Internacional (RS) nos pênaltis. Sagrou-se vice-artilheiro da competição, com cinco gols, e foi eleito um dos destaques da Copa daquele ano. Ainda em 98, estreou pela equipe profissional da Macaca e transformou-se em um dos principais artilheiros da equipe. Participou da campanha que levou a Ponte de volta à 1ª divisão do Campeonato Paulista e do plantel que levou o time campineiro às finais do Campeonato Brasileiro de 1999. Permaneceu na Ponte até o ano de 2000, quando se transferiu para o Rennes da França.

Com apenas 19 anos de idade, Luis Fabiano ficou no clube francês por um semestre, mas não teve muitas oportunidades de atuar. Em 2001, apareceu a chance de voltar a jogar no Brasil. O São Paulo o contratou por empréstimo e Luis Fabiano realizou uma boa temporada. Logo no jogo de estréia como titular, contra o Botafogo, no Maracanã, marcou dois gols e ajudou a equipe a conquistar o título do Torneio Rio-São Paulo. No total, marcou 30 gols em 49 jogos em 2001, com média de 0,61 gol por jogo.

No primeiro semestre de 2002, o artilheiro voltou ao Rennes, que ainda detinha os seus direitos federativos, mas permaneceu por apenas seis meses, pois na segunda metade do ano foi contratado em definitivo pelo São Paulo Futebol Clube.

Nova fase - SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE

O Campeonato Brasileiro de 2002 marcou o início de uma nova fase na carreira de Luís Fabiano. Satisfeito pelo fato da diretoria do São Paulo apostar em seu futebol e contratá-lo por um valor alto para os padrões nacionais (cerca de US$ 2 milhões), o jogador foi artilheiro da competição, com 19 gols, e passou a ter uma grande identificação com a torcida são-paulina. A média de gols do jogador também aumentou significativamente: em apenas um semestre, Luis Fabiano marcou 21 gols em 25 jogos - média de 0,84 gol por jogo.


Em
 2003, Luis Fabiano foi artilheiro do campeonato paulista e vice-artilheiro do campeonato brasileiro e da Copa do Brasil. Mas o maior feito foi a contribuição do atacante para que o São Paulo atingisse um objetivo que o clube já perseguia há quase dez anos: voltar disputar a Taça Libertadores da América.

Em
 2004, Luis Fabiano ajudou o São Paulo a chegar à fase semifinal da Taça Libertadores da América. O artilheiro ainda sagrou-se artilheiro da competição com oito gols.

Com apenas
 23 anos, Luis Fabiano tornou-se um dos maiores artilheiros da história do São Paulo Futebol Clube. Com 118 gols em 160 partidas disputadas pelo tricolor, o jogador possui a segunda maior média de gols da história do clube (0,74 por jogo), atrás apenas do lendário Arthur Friendereich, considerado o Pelé dos anos 20.

De volta à Europa - PORTO FC

No segundo semestre de 2004, Luis Fabiano voltou ao futebol europeu com o objetivo de ser reconhecido como um dos melhores atacantes do mundo. E para alcançar esse objetivo não haveria uma equipe melhor do que o FC Porto, então campeão europeu e português.

 

Em sua chegada, Luis Fabiano foi recebido por três mil torcedores no estádio do Dragão, na cidade do Porto. Entretanto, sua passagem pela equipe portuguesa foi apagada: ele não se firmou na equipe e viveu uma de suas piores fases. Em 2005, foi contratado pelo Sevilla.


Na Espanha, voltou a jogar melhor, e passou a jogar - e marcar gols - com maior frequência na equipe que conquistou aCopa da Uefa em 2005/06, Supercopa Européia 2006 , Copa da UEFA 2006/2007,Copa da Espanha 2007Supercopa Espanha 2007 , fora os torneios disputado pelo time na temporada, ganhou o prêmio de melhor jogador 2007 pelo Sevilla e por ai vai......

Seleção Brasileira

Pela Seleção Brasileira, Luís Fabiano recebeu sua primeira convocação em um amistoso contra a Nigéria em 2003, quando estava em grande fase pelo São Paulo. Neste jogo, Luís Fabiano marcou um gol. Depois disso passou a receber algumas outras convocações para as eliminatórias da Copa do Mundo e outros amistosos, como um contra a Hungria, onde ele marcou dois gols.

 Foi convocado para disputar a Copa América de 2004, na qual foi titular e talvez o grande nome do Brasil para o torneio. Mas quem acabou brilhando mesmo foi o atacante Adriano, que foi o grande heroi do título.

 


Em novembro de 2007, o atacante Afonso Alves, convocado para a dispu

Voltar

Procurar no site

F7000 © 2014 @f7000site Todos os direitos reservados